8 dicas para quem vai abrir uma gestora de fundos de investimento

Por: Marcos Puccini - 15/07/2019

Tempo de leitura:

É muito comum que profissionais que atuam em fundos de investimento cogitem, com o tempo, abrir a sua própria gestora. Isso ocorre porque, conforme eles ganham experiência em gestão patrimonial, surge a vontade de ter mais autonomia para recomendar as ações que consideram mais rentáveis e seguras

Segundo estimativas, 5% a 10% das gestoras independentes fecham as portas todos os anos. Um número ainda maior fica pelo meio do caminho ou são reformuladas, tornando-se um veículo para investimento familiar e de amigos.

Apesar dos números, não significa que é uma má ideia abrir sua própria gestora de fundos de investimento. Apenas é preciso encará-la como um projeto de longo prazo, como ocorre na abertura de qualquer outra empresa.

Neste artigo, você receberá oito dicas que devem ser levadas em consideração ao abrir uma gestora independente. Confira!

Por que montar uma gestora de fundos de investimento independente?

Se você ainda está em dúvida sobre abrir ou não a sua própria gestora de fundos de investimento, selecionamos algumas vantagens. São elas:

  1. Existem casos de sucesso de outras gestoras independentes, que obtiveram excelentes resultados financeiros;
  2. Realizar a gestão patrimonial de forma independente oferece uma carreira alternativa para profissionais que passaram por empresas de grande porte e buscam alavancar suas habilidades e networking;
  3. É uma oportunidade para pessoas com grande capacidade analítica;
  4. Não é preciso ter um grande capital para iniciar uma gestora.

Entretanto, é preciso ter em mente que não é tarefa fácil, principalmente nos anos iniciais. Trata-se de algo desafiador, mas não impossível de ser realizado. Confira algumas dicas que o ajudarão nessa missão!

8 dicas para abrir sua própria gestora de fundos de investimento

Se você está convicto de que é momento de iniciar uma nova gestora de fundos de investimento, saiba que existem diversos fatores que podem afetar no sucesso da empreitada. Conheça quais são eles:

1. Vantagem competitiva

A sua gestora deve ter, pelo menos, uma vantagem competitiva em relação à concorrência. Caso não tenha certeza se possui, avalie como pode obter uma vantagem única e que seja difícil de ser copiada.

Entre as vantagens que uma empresa de gestão patrimonial pode ter, as mais comuns são:

  • Comercial, em função de um grande networking e reputação com o mercado-alvo, como distribuidores de fundos de investimento, fundos de pensão, indivíduos e famílias ricos, empresas, entre outros;
  • Habilidades superiores de trading ou conhecimento de mercado como, por exemplo, conhecer a fundo empresas de determinados setores;
  • Recursos financeiros iniciais que viabilizem o negócio no instante zero, reduzindo, com isso, as barreiras de entrada da empresa.

2. Defina uma estratégia para os seus produtos

Algumas gestoras subestimam a importância de definir uma estratégia clara para os seus fundos de investimento. Porém, como você explicará o seu processo de gestão patrimonial a sua equipe e clientes sem essa informação? É importante que esta estratégia seja replicável, defensável e, principalmente, lucrativa.

É importante, ainda, evitar ideias que nunca foram testadas ou que foram somente simuladas via blacktesting. Em mercados reais, elas geralmente não têm muito sucesso e credibilidade entre clientes e distribuidores.

3. Tenha um patrimônio inicial

É importante ter um fundo de investimento bem capitalizado. A quantidade de ativos que você necessitará depende de alguns fatores, como:

  • Tamanho da equipe que será necessária para executar a estratégia e as demais atividades da empresa;
  • Clientes e parceiros;
  • Estrutura de custos do produto.

Alguns fundos podem ter rentabilidade a partir de algumas dezenas de milhões, enquanto outros podem necessitar de algumas centenas de milhões para serem rentáveis e considerados um negócio robusto e com boas perspectivas de vida em longo prazo.

Em suma, a estrutura de cada gestora e seus produtos determinarão o patrimônio mínimo para viabilizar a empresa.

4. Plano de marketing e vendas

Como qualquer negócio, nada acontece até que uma venda seja feita. É importante desenvolver um plano de vendas que indique como será o processo de captação de clientes.

Em relação aos materiais de marketing, eles são grandes aliados porque justamente dão apoio às vendas. É possível criar:

  • Logomarca;
  • Newsletter;
  • Website;
  • Blog corporativo;
  • Redes sociais;
  • Apresentação institucional;
  • Lâminas de apresentação dos fundos de investimento;
  • Business cards;
  • Folders.

Estes materiais costumam ser construídos por uma agência de marketing, preferencialmente que já atue com outras empresas do segmento. É importante ressaltar que eles devem estar em conformidade com a regulamentação da CVM e da ANBIMA. Caso contrário, a empresa pode receber notificações e ter problemas para atuar.

5. Gestão de riscos

Uma gestora de fundos de investimento deve ser capaz de apresentar evidências concretas sobre a sua capacidade de monitorar e gerenciar riscos - bem como comunicá-los adequadamente à equipe interna e aos seus clientes. Caso você tenha dificuldade para realizar esta tarefa, existem fornecedores focados em apoiar gestores nessa tarefa.

6. Compliance e assistência jurídica

Contar com a ajuda de um bom escritório de advocacia não deve ser visto como custo mas, sim, como um ótimo investimento. É o advogado quem orientará sobre a melhor estrutura societária - que preserve a empresa em caso de saída de um dos sócios - e auxiliará na organização do fundo.

7. Escolha de fornecedores

A escolha de fornecedores impactará na estrutura de custos, na qualidade do serviço e na credibilidade da gestora de fundos de investimento. Os principais parceiros que devem ser bem selecionados são:

  1. Fornecedores de sistemas;
  2. Auditor;
  3. Administrador;
  4. Custodiante;
  5. Agência de marketing;
  6. Empresa de RH para contratação de funcionários.

8. Escolha uma equipe de sucesso

Para que a sua empresa realize uma boa gestão patrimonial, você precisa ter os profissionais certos. Provavelmente, sua gestora terá uma equipe reduzida, mas é importante que ela seja qualificada. Crie uma equipe balanceada, equilibrando áreas operacionais (gestão e trading), comerciais e de suporte.

Como o caminho para a lucratividade é longo, busque sócios que tenham capacidade de atravessar alguns anos com retiradas moderadas, possuam capacidade técnica e credibilidade no mercado - e, eventualmente, apostem algum seed money nos fundos de investimento.

Tenha paciência!

Como qualquer outro negócio, iniciar uma gestora de fundos de investimento independente deve ser visto como uma iniciativa que provavelmente levará alguns anos para atingir um ponto de equilíbrio - tanto de clientes quanto de lucratividade. Portanto, paciência e persistência são fatores imprescindíveis!

Apesar de vários fundos falharem, seguindo algumas dessas dicas é possível, sim, atingir o sucesso.





Comentários